Guerra Dos Browsers

Guerra dos Browsers

Quando a Guerra dos Browsers começou

 

Desde 1990 com o aparecimento do Nexus e mais tarde em 1993 com o lançamento do Lynx que já são largas dezenas de browsers que nasceram e morreram. Mas poucos tiveram a quota de mercado como o Internet Explorer, em parte devido a este ter sido incluído nas várias versões do sistema operativo Windows durante muito tempo.

A guerra dos browsers já é longa e dura, e por muito tempo, o Internet Explorer da Microsoft  manteve o primeiro lugar indiscutivelmente.

Segundo a NetMarketShare, Abril de 2016, será lembrado na história, como o mês em que o Google Chrome ultrapassou o Internet Explorer em quota de mercado, ou seja, na quantidade de utilizadores.

Mas esta não foi a primeira vitória para o Google Chrome, diz a NetMarketShare. Em Maio de 2014, o Chrome já tinha alcançado e ultrapassado o Mozilla Firefox, numa altura em que o Internet Explorer reinava com uns confortáveis 58% contra 17% do Chrome e 16% do Firefox.

NetMarketShare vs. StatCounter

 

No entanto a NetMarketShare não é a única entidade reconhecida neste campo, e segundo a StatCounter, a história da Guerra dos Browsers tem outras datas.

Enquanto que a NetMarketShare baseia as suas análises em cerca de 40 mil sites que utilizam os seus contadores, enquanto que a StatCounter faz o mesmo com uma rede de 3 milhões de sites.

Para a StatCounter, o Google Chrome ultrapassou o Internet Explorer há 4 anos atrás (Maio de 2012).

Qual está certa?
Ninguém sabe dizer, mas no entanto, ambas apresentam tendências muito semelhantes, de que o Chrome está a ganhar quota de mercado a olhos vistos, e que o Internet Explorer perde a mesma quota de mercado.

Será que a Microsoft espera inverter a tendência com o Edge, o substituto do Internet Explorer ?
Apenas o tempo o dirá.

O mundo tecnológico é assim mesmo, e a evolução do mesmo dita quem morre e quem sobrevive.

Fontes:
NetMarketShare   StatCounter   Wikipedia : Timeline of web browsers   Wikipedia : List of web browsers   Wikipedia : Usage share of web browsers

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *