Websites

Website : Quanto custa ter um na internet

Então e quanto custa ter um website na Internet ?

Provavelmente é a pergunta mais feita a um profissional da área, no entanto é uma pergunta difícil de responder, pois é a mesma coisa que perguntar quanto custa um carro ou uma casa.

 

Tudo depende dos detalhes

Tal como na compra de um carro ou uma casa, é preciso ser especifico quanto ao que se quer. Ninguém diz que quer uma casa e depois deixa a decisão dos detalhes ao vendedor.

Cada website é um projecto original e com detalhes específicos de acordo com o objectivo que o cliente pretenda atingir.

Algumas perguntas que deverá fazer a você mesmo antes de pedir um website a um profissional, seja agência ou freelancer:

  1. Quanto estou disposto a investir?
  2. Que funcionalidades quero no website?
  3. É um website novo ou remodelação de um existente?
  4. Que imagem/visual quero que o meu website passe?
  5. Preciso actualizar com frequência o conteúdo no mesmo?
  6. Já tenho ou vou criar o conteúdo criado (textos, imagens e/ou vídeos), ou necessito de criação de conteúdo?
  7. Vou querer design gráfico personalizado ou fotografia profissional?
  8. Vou precisar de domínio e de alojar o website?
  9. Será que preciso de manutenção regular após o lançamento?
  10. Quais os prazos em que o projecto pode ser efectuado?
  11. Tenho uma estratégia de marketing para acompanhar?

 

No fim das contas, e para que tudo corra bem, há também outros aspectos que deve ter em conta e que por vezes são esquecidos pela maioria dos clientes:

  1. Um website nunca está terminado : Os motores de busca, como o Google e o Bing, dão mais destaque a websites que são actualizados frequentemente e que mostram portanto que o mesmo está activo. Se vai investir num, tenha isso em atenção e planeie a publicação de novos textos ou imagens.
  2. Tempo de construção : Converse com a agência ou freelancer sobre as suas necessidades em termos de prazos. Seja realista e tente lembrar-se que não é o único cliente que existe.
  3. Manutenção Mensal : Chegue a um acordo com quem trabalha no seu website para manter a plataforma actualizada para evitar erros de funcionamento e defende-lo de ataques de hackers.
  4. Evolução : É natural que com a evolução da tecnologia, surjam novas funcionalidades. Tenha em consideração isso e converse com  quem trabalha no seu website para saber se é possível implementar essas novidades e quanto custa.
  5. Custos Regulares : Um website tem obrigatoriamente de estar alojado em um servidor, afinal de contas é um pedaço de software composto por linhas de código e precisa de um computador para os executar a pedido dos visitantes. Geralmente as agências sub-contratam empresas especializadas para tal, visto que os custos de manter um servidor profissional são bastantes elevados. Também será necessário renovar o domínio, que nada mais é que uma maneira fácil dos seus clientes encontrarem o seu website. Lembre-se… Alojamento e Domínio são custos anuais.
  6. Pagamentos :  Tanto as agências como freelancers têm custos e despesas, e assim como você, prazos para isso. Converse com eles, e cumpra o estabelecido. Se fosse você a receber, gostaria que falhassem consigo?
  7. Divulgação : Por muito bom que um website seja, o seu sucesso depende de quantos visitantes passam pelo mesmo e se fazem o que é esperado deles – converter as visitas em vendas ou outro objectivo – coisa que muitas vezes falha, por falta de estratégias para divulgar o mesmo. Prepare uma estratégia de marketing, planeando a divulgação nas redes sociais, folhetos, publicidade paga como Facebook Ads ou Google Adwords.

Três casos gritantes da necessidade de manter a manutenção do seu website do mesmo modo como leva o seu carro ao mecânico e às inspecções periódicas, são :

  1. O progressivo bloqueio da tecnologia Flash na qual muitos sites eram construídos há alguns anos atrás
  2. O crescente mercado dos telemóveis onde os sites têm de ser responsivo conforme o tamanho do ecrã do equipamento.
  3. A massificação de redes sociais.

Assustado?

Não fique. Há muitos profissionais por aí que o podem ajudar.
Lembre-se apenas que construir um website não é como fazer uma apresentação de Powerpoint ou um manual no Word, e que assim como você quer ter sucesso através do seu website, a sua concorrência também deseja o mesmo. Seja proativo e não reativo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *